Receba as atualizações por e-mail

Cadastre seu e-mail:

sábado, 17 de dezembro de 2011

Os tempos mudaram!

Salve Maria!

Muitos dos que fazem algum apostolado, já devem ter vivido situação parecida: Ao ensinar ou debater sobre algum ensinamento tradicional da Igreja, sempre surge aquele jargão, ou até resposta-padrão típica daqueles que buscam viver em uma espécie de comodismo, ou negar alguma verdade que não lhes "interesse" e dizem: "Os tempos mudaram!"

Para ilustrar...



Interessante... Como complemento do meu penúltimo artigo (aqui) transcrevo um trecho muito interessante de um livro que estou lendo e que dispensa recomendações, que responde a esta ideia mais que difundida atualmente.



"A História não volta atrás!"


A Religião Católica, segundo esse singular princípio, não existiria. Pois não se pode negar que o Evangelho era radicalmente contrário ao meio em que Nosso Senhor Jesus Cristo e os Apóstolos o pregaram. E a Espanha católica, germano-romana, também não existiria. Pois nada se parece com uma ressureição, e portanto, de algum modo, com uma volta ao passado, do que a plena reconstituição da grandeza cristã da Espanha, ao cabo dos oito séculos que vão de Covadonga até a queda de Granada. A Renascença, tão cara aos revolucionários, foi, ela mesma, sob vários aspectos pelo menos, a volta a um naturalismo cultural e artístico fossilizado havia mais de mil anos.


A História comporta vais e vens, portanto, quer nas vias do bem, quer nas do mal.


Cabe grifar o conceito de "moderno" que é tão difundido atualmente, um conceito totalmente revolucionário: O "moderno", é tudo quanto dê livre curso ao orgulho e ao igualitarismo, bem como à sede de prazeres e ao liberalismo.


(Plinio Corrêa de Oliveira - Revolução e Contra-Revolução Pg. 110 - com adaptações minhas)


O que foi dito acima, dispensa explicações, mas vou explicitar de modo rápido. O meio em que Nosso Senhor vivia era totalmente, radicalmente diz o Prof. Plinio Corrêa, contrário ao Evangelho que o Diviníssimo Mestre pregava, e nem por isto Nosso Senhor deixou de pregar seu Evangelho. Nem por isto, os Apóstolos se omitiram. Nem por isto, eles se calaram. Nem por isto, buscaram renovar o Evangelho de Nosso Senhor, "dispensando" algo do que aí esteja contido, pois os tempos mudaram... Nosso Senhor não veio para abolir aquilo que foi ensinado antes dEle. Ele disse:

"Não pensem que eu vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim abolirmas dar-lhes pleno cumprimento. "
(Mt 5, 17)


Se o Diviníssimo Mestre, em sua Infinita Perfeição, Ele que é a Sabedoria, não julgou "ultrapassado" ou "desprezível" (no sentido de algo que mereça ser desprezado, descartado) aquilo que veio antes dEle (no sentido de antes de sua Encarnação), por que o faríamos nós?


E por que hoje, devemos - para estes que dizem o jargão "os tempos mudaram" - abandonar a Verdade, a Tradição, os Costumes, os Ensinamentos, e muitos cabe grifar, Infalíveis da Santa Igreja?

Os tempos mudam?

Todos os costumes, tradições, ensinamentos retos, verdadeiros, católicos, devem ser resgatados, ou senão preservados, e não jogados "pela janela" em nome do "progressismo"... Conservemos!


A verdade é uma! Devemos conservar tudo que a Igreja sempre ensinou. Tudo que ela sempre praticou, exercitou. Toda sua riquíssima e Santa Tradição, e não jogar pela janela o que é "velho", se movendo pelo espírito de "Renova tua Igreja"... Cada uma que aparece!

"O ódio ao mal é o termômetro do amor ao bem!"

In Corde Iesu et Mariae
Voc. Allysson Vidal Vasconcelos
cruzinabalavel@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...