Receba as atualizações por e-mail

Cadastre seu e-mail:

domingo, 17 de agosto de 2014

Em momentos extremos, orações extremas


Santa Tereza d´Avila
Uma freira, hoje, segundo a imagem mais atualizada, poderia ser uma agitadora, ensinando às crianças a execrável “teoria do gênero” e outras coisas abomináveis, mas ainda ontem sua possível imagem seria a de uma religiosa muito boazinha, porém fora de todos assuntos, inclusive, por vezes, dos interesses da Religião.
Se para o leitor uma freira seria uma pessoa assim, recomendo-lhe ler os escritos, todos de fogo, de uma religiosa santa: Santa Teresa d’Ávila (1515-1582). Para ela, as freiras deveriam ser combatentes, “homens”, no sentido espiritual, e não mulhericas.
Além de ser uma mística notável, ela se preocupava sobremaneira com a situação da Igreja de seus dias. E como! Nota-se em Santa Teresa, uma santa inconformidade com o que se passava em torno dela. Veja-se, por exemplo, esta sua oração, que prima pela santa ousadia:
“Padre santo, que estais nos Céus, não sois ingrato para que eu pense que deixareis de fazer o que Vos suplicamos para a honra de vosso Filho. O Padre Eterno! Vede que não se podem esquecer tantos açoites e injúrias, e tão gravíssimos tormentos, sofridos por vosso Filho. Pois, Criador meu, como entranhas tão amorosas como as vossas podem suportar que o que Ele fez com tão ardente amor, seja tido por tão pouco?”
Os termos são realmente ousados! Ela prossegue:
“O mundo está pegando fogo, querem tornar a sentenciar a Cristo. [...] Suplico-Vos, pois, Padre Eterno, que não suporteis mais, atalhai este fogo, Senhor, que se quereis, podeis; algum meio deve haver, Senhor meu; aplique-o Vossa Majestade. Não permitais ainda mais danos para a cristandade. Já, Senhor; já, Senhor, fazei que sossegue este mar, que não ande sempre em tanta tempestade esta nave da Igreja, e salvai-nos, Senhor meu, que perecemos”.(1)
Trata-se de uma oração muito forte, que poderíamos aplicar ao Iraque e à Nigéria nos dias atuais.
Guerrilheiros islamitas executando pessoas indefesas
Em Mossul (Iraque), “as casas dos cristãos foram marcados com um “N”, que significa Nassarah ou Nazareno, um pouco como as casas dos judeus eram emporcalhadas por Hitler”, comenta Gilles Lapouge.(2) Hoje! Hoje! Na parte cristã da Nigéria, dezenas, centenas de virgens foram sequestradas por terroristas maometanos, com finalidades políticas escusas. Na cidade de Maiduguri, militantes do grupo se passaram por religiosos e pediram à população que se reunisse para rezar. Depois, eles atiraram contra a multidão. Segundo moradores, 45 pessoas morreram no local. Estes são apenas alguns exemplos.
Não se diga que isso acontece muito longe, pois se são cristãos, são nossos irmãos; não há distância que nos separe. Trata-se de algo que é parte de nós mesmos.
São Luís Maria Grignion de Montfort
E a situação dolorosa em que se encontra a Santa Igreja em nossa época? Para dizer algo a respeito, utilizo-me das palavras tão veementes contidas na Oração Abrasada de São Luís Maria Grignion de Montfort:
“E nós, grande Deus! Embora haja tanta glória e tanto lucro, tanta doçura e vantagem em servir-vos, quase ninguém tomará vosso partido? Quase nenhum soldado se alistará em vossas fileiras? Quase nenhum São Miguel clamará, no meio de seus irmãos, cheio de zelo pela vossa glória: Quis ut Deus? Ah! permiti que brade por toda parte: Fogo! fogo! fogo! socorro! socorro! socorro! Fogo na casa de Deus! Fogo nas almas! Fogo até no santuário! Socorro, que assassinam nosso irmão! Socorro, que degolam nossos filhos! Socorro, que apunhalam nosso bom Pai!”
O santo ainda diz intrepidamente, na mesma oração: “Que Vos peço eu? O que podeis, e até ouso dizer, o que deveis conceder-me, como Deus verdadeiro que sois, a Quem todo poder foi dado no Céu e na Terra, e como o melhor dos filhos, que amais infinitamente vossa Mãe”?(3)
É difícil a esta altura não lembrar aquelas palavras da Escritura: Exsurge, Domine, quare obdormis ? Exsurge (Erguei-Vos, Senhor! Por que pareceis dormir?)(4). E aquelas outras, também da Bíblia:“Se contra Deus foste forte, quanto mais o serás contra os homens”.(5)
Termino com ensinamentos de Plinio Corrêa de Oliveira sobre a virtude da inconformidade, que é a virtude do momento.
“O brado das almas não inconformes é bastante forte para chegar até o Céu? Não. A oração é ouvida na medida em que a pessoa que pede deseja o que pede.
“Como se pode desejar um brado que percorra todos os espaços interestelares e chegue até o trono de Deus? Como se pode desejar algo, se alguém se conforma com o contrário desse algo e vive comodamente dentro do contrário desse algo? Não pode ser!
“É claro que o brado profético, a oração profética, a resistência profética que rompe, que dilacera esse manto de trevas existente em torno da Terra e que chega como um incenso de agradável odor aos pés de Nossa Senhora, tem que partir das almas inconformadas. É claro! Mas é claro.
“Deve-se dizer da virtude da inconformidade o que o Evangelho diz da Sabedoria: é como uma pérola preciosa que o mercador vende tudo quanto tem para poder comprar”.(6)
____________________
Notas:
  1. Santa Tereza de Ávila – Preces Pro Opportunitate Dicendae, Artpress, São Paulo, 1997, p.366.
  2. “O Estado de São Paulo” , 24-7-14.
  3. Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, Vozes, Petrópolis,1985, p. 301 e ss.
  4. Sl 43, 24.
  5. Gênesis 32:28.
  6. Trecho da conferência pronunciada no encerramento de um Congresso anti-comunista no auditório da Bolsa de Mercadorias de São Paulo, em 5-7-71.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...